martes, 24 de agosto de 2010

COMUNICADOSPARA LOS TRABAJADORES DE UPS MUNDO

EnqAos trabalhadores e trabalhadoras da UPS em todo o mundo:
uanto UPS obtém lucros multimilionários, despede aos/às trabalhadores/as da UPS-Vallecas
READMISSÃO DOS/AS DESPEDIDOS/AS!
Estimados companheiros e companheiras

Queremos, em primeiro lugar, informar-vos de que no passado dia 30 de Julho UPS começou a despedir os trabalhadores de Vallecas (Madrid), sendo até ao momento 18 os companheiros e companheiras despedidos..
Ao longo dos último anos a empresa apresentou três Expedientes de Regulación de Empleo (ERE, procedimento oficial para solicitar à Administración a extinção de contratos de trabalho), com o fim de despedir à maioria dos trabalhadores da UPS Vallecas e modificar as condições laborais e económivas dos restantes, incluindo acabar com o convénio colectivo que temos assinado.
Depois de muita luta, os dois primeiros ERE e os seus correspondentes recursos legais foram recusados pelas Administrações (Ministério do Trabalho e Comunidade de Madrid), que lhes negaram forma inequívoca a existência de alguma causa para os despedimentos. Finalmente, a direcção da UPS resolveu retirar o terceiro antes que a Administração voltasse a recusar-lo.
Com estes antecedentes, e em vez de aceitar e assumir as distintas resoluções da Administração voltando a normalizar as relações laborais em Vallecas, a empresa tem o descaramento de aplicar, imediatamente após retirar o terceiro ERE, o chamado “despedimento objectivo” (despedimentos individuais, com uma indemnização de 20 dias por ano trabalhado) a 18 trabalhadores/as.
E fá-lo utilizando os mesmo argumentos desde há mais de dois anos: “as causas dos despedimentos são económicas, organizativas e de produção”, as mesmas causas que já em cinco ocasiões lhes disseram que não existem!, dando razão em todos os casos a nós trabalhadores que lutamos pela defesa do posto de trabalho e pelas condições laborais.
Desta vez, apoiando-se na nova Reforma Laboral aprovada pelo Governo espanhol e que entrou em vigor no dia 18 de Junho, tenta conseguir o que não conseguiu por via dos ERE. Com esta nova Reforma, como desaparecem muitas causas de “nulidade” para os despedimentos (o que significa que se o juiz declara nulo o despedimento a readmissão do trabalhador despedido é obrigatória), UPS pretende que os despedimentos prosperem, ainda que sejam declarados como “improcedentes”, o que significaria que a empresa estaria obrigada a pagar mais dinheiro ao trabalhador (até 45 dias por ano trabalhdo) mas nada a obrigaria a readmiti-lo no seu posto de trabalho. Assim sendo, UPS teria o caminho aberto para aplicar a mesma medida aos restantes trabalhadores que, por hoje, continuamos no centro de Vallecas (neste momento uns 70, frente aos mais de 200 que éramos há pouco mais de dois anos).
Levamos mais de dois anos embarcados nesta luta em defesa dos postos de trabalho e dos direitos laborais. A direcção da empresa preferiu tirar-nos o trabalho, ter-nos praticamente sem fazer nada durante todo este tempo, sem se importar em esbanjar dinheiro, enquanto sobrecarrega de trabalho aos companheiros de outros centros de trabalho, isto é, fazer de tudo, do que ceder e sentar-se com os representantes dos trabalhadores (Comitê de empresa) para resolver de uma vez esta situação, voltando a trazer o trabalho a Vallecas que nos tiraram ou, então, trasladar todos os/as trabalhadoras ao centro de Coslada (Madrid), se é verdade que o que querem é encerrar Vallecas.
Isto demonstra o que temos dito muitos vezes, que aqui não falta nem dinheiro nem trabalho, aqui o problema é que querem acabar com um modelo sindical que lhes é incómodo para aplicar os seus planos, que não são outros senão substituir trabalhadores efectivos e com direitos por trabalhadores cada vez mais precários, que trabalhem mais por menos dinheiro e menos direitos. E necessitam que sejam trabalhadores submissos. Essa é a sua política para continuar obtendo cada vez mais lucro.
Querem ter mãos livres para continuar a terceirizar (i.e.: outsourcing) o trabalho, utilizando empresas subcontratadas em lugar de contratar trabalhadores directamente pela UPS, generalizando os contratos a tempo parcial, o uso de Empresas de Trabalho Temporário e o poder congelar ou directamente reduzir os salários. Ou seja, necessitam as mãos livres para continuar a cortar nos direitos dos trabalhadores.
Nós, os trabalhadores da UPS Vallecas dirigimo-nos a todos vocês para denunciar esta situação e pedir a VOSSA SOLIDARIEDADE E APOIO.
Pedimo-vos que se enviem comunicados desde todos os centros de trabalho da UPS, sindicatos e representantes de trabalhadores, à direcção da UPS exigindo-lhe a imediata readmissão dos companheiros e companheiras despedidos e que se respeite o posto de trabalho e os direitos laborais dos trabalhadores da UPS Vallecas, bem como todos da UPS.
Estamos levando a cabo um plano de acção que inclui, entre outras coisas, reuniões de trabalho com trabalhadores da UPS de outros centros e a nossa participação activa na preparação da Greve Geral convocada em todo o país para o próximo dia 29 de Setembro.
Esperando o vosso apoio solidário, agradecemo-vos e indicamos abaixo os endereços e direcções para que possais ter toda a informação necessária.

PELA READMISSÃO DOS COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS DESPEDIDOS!
PELA DEFESA DOS POSTOS DE TRABALHO!
FORA A REFORMA LABORAL!

Vallecas (Madrid) 20 de Agosto de 2010

Comité de Empresa de UPS Vallecas


COMUNICADOS À DIRECÇÃO DA EMPRESA
Para enviar comunicados exigindo a readmissão dos despedidos/as:
Arancha Fernández Igoa
Directora de Recursos Humanos
afernandezigoa@ups.com

Luis Arriaga
Director Geral de UPS España
larriaga@ups.com

(Por favor, enviar copia dos comunicados escritos ao Comité de Empresa de UPS Vallecas para a seguinte direcção: comiteupsvallekas@yahoo.es)
Trabalhadores e trabalhadoras da UPS Vallecas:
Correio: comiteupsvallekas@yahoo.es
Telefone de contacto: (+34) 677 041 301Blog: http://ereupsvallecas.blogspot.com/ Forum: http://ereups.gratisforo.net/forum.htmFacebook: http://www.facebook.com/pages/UPS-MADRID-ABUSOS-DE-UNA-MULTINACIONAL/374214966166

No hay comentarios: